O texto de um website é um fator muito importante no algoritmo do Google. Os spiders do Google percorrem o texto e indexam as palavras mais relevantes. Por este motivo, o nosso texto deve ser escrito para que as palavras-chave e os termos de pesquisa ocupem locais preminentes. Por outro lado, utilizar as palavras-chave com demasiada frequência prejudica a facilidade de leitura do nosso texto. Por todas estas razões, vamos agora abordar os conceitos básicos da escrita SEO.

Escrita SEO

Escrever texto: pensar antes de escrever

A escrita é uma profissão. Pode ser bastante desafiante. E escrever de forma a otimizar o nosso website para os motores de pesquisa torna a tarefa ainda mais dura. Devemos asseguramo-nos de que a missão dos nossos produtos é transmitida de forma cristalina. Devemos começar por escrevê-la. A mensagem do nosso texto deve ser alvo de profunda reflexão. O que queremos transmitir aos nossos leitores? Qual é o objetivo do nosso texto? O que queremos que os nossos leitores façam quando acabarem de ler a página? Devemos escrever as respostas a estas questões antes de começarmos a escrever o texto propriamente dito. Para quem quer iniciar-se na escrita SEO, este é um excelente princípio.

Escrita SEO: utilização sábia das palavras-chave

Naturalmente, os termos e as palavras-chave pelas quais queremos ser encontrados terão locais destacados no nosso texto. No entanto, devemos asseguramo-nos que não utilizamos esses termos com demasiada frequência. Se nos quisermos posicionar por um determinado termo – por exemplo: “Roupa de criança” e escrevermos um texto com as palavra roupa de criança em todas as frases, é provável que a nossa audiência fique bastante aborrecida. O texto deixa de ser legível. Devemos ter em mente que o Google quer que os seus utilizadores tenham a vida facilitada. Os utilizadores querem textos que sejam compreensíveis, bem estruturados e fáceis de ler.

Como regra geral, devemos colocar os termos pelos quais queremos ser encontrados em 1 a 2 por cento do nosso texto. Devemos escrever os nossos artigos têm um mínimo de 300 palavras. Assim, numa publicação com 300 palavras, devemos mencionar os termos pelos quais queremos ser encontrados 3 a 6 vezes. O mínimo de 300 palavras não é uma ciência exata, naturalmente. A mesma ideia se aplica ao número das palavras-chave mencionadas, mas 300 palavras é um número decente para um artigo que mostre alguma autoridade em determinado assunto.

Utilização de cabeçalhos

Se escrevemos artigos longos e não queremos que as pessoas se percam nos nossos textos, devemos utilizar cabeçalhos. Os cabeçalhos ajudam o Google a compreender o tópico principal de uma publicação longa, pelo que nos podem ajudar a obter uma boa posição no ranking. A utilização de cabeçalhos provavelmente permitirá que utilizemos menos frequentemente as palavras-chave. Os cabeçalhos conduzem os leitores, ajudam a fazer uma leitura rápida de toda a página e fazem com que a estrutura dos nossos artigos se torne mais clara. Devemos utilizar as palavras-chave nos cabeçalhos, mas não em todos, uma vez que isto tornaria o nosso texto desagradável à leitura.

Devemos também inserir imagens ou ilustrações ao nosso texto, de acordo com o conteúdo do mesmo. Quando colocamos uma imagem no nosso artigo, esta deve ter um “alt tag” que contenha a palavra-chave, mas que simultaneamente descreva a imagem.

Cuidado com a sobre otimização!

Uma demasiada otimização do nosso texto pode fazer com que o Google pense que nos estamos a esforçar demasiado. O nosso site é então rebaixado nos resultados das pesquisas. Devemos sempre ter a nossa audiência em mente e escrever textos destinados a pessoas, mas que sejam, simultaneamente, fáceis de ler.

Escrita de conteúdo com o plugin SEO da Yoast

O plugin SEO da Yoast ajuda a escrever textos de acordo com a escrita SEO. Se quiserem a ajuda deste plugin, devem começar por escolher a palavra-chave escrevendo-a na caixa própria para isso. Este será o termo de pesquisa mais importante pelo qual queremos que a página seja encontrada. O plugin mede muitas caraterísticas do texto que estamos a escrever e ajuda-nos a torna-lo mais compatível com as boas práticas de SEO. Vamos agora descrever algumas destas práticas:

  1. O plugin permite-nos escrever uma meta descrição. Esta descrição é um pequeno texto que descreve o tópico principal da publicação. Se a meta descrição contiver o termo de pesquisa utilizado esse texto será mostrado no Google por baixo do URL nos resultados de uma pesquisa.
  2. O plugin analisa o texto que escrevemos. Utiliza um teste que avalia o grau de facilidade de leitura. A pontuação neste teste tem em conta o comprimento das frases, a utilização da voz passiva, o comprimento dos parágrafos e a utilização de palavras de transição. É uma ferramenta interessante para nos ajudar a escrever bons textos.
  3. O plugin faz um número bastante grande de verificações: uma delas é se a palavra-chave foi utilizada em locais importantes – no cabeçalho do artigo, no título da página, no URL da página, no conteúdo do artigo e na meta descrição. O plugin verifica também a presença de hiperligações, assim como a presença de imagens. Conta o número de palavras e calcula a percentagem de utilização da palavra-chave. Além disso, o plugin verifica também se existem outras páginas no nosso site que tenham utilizado a mesma palavra-chave, para prevenir que entremos em competição connosco próprios.
Bolas verdes

Se fizermos um texto com escrita SEO (baseado nos aspetos anteriormente mencionados) o plugin indica-o com uma bola verde. Escrever páginas com bolas verdes ajuda a melhorar o ranking das páginas do nosso website. Adicionalmente, os visitantes poderão ler o conteúdo de qualidade que andam à procura.

Manter o website atualizado

Existem vários mitos à volta de termos que manter o nosso website atualizado para o Google. Não é inteiramente claro que as atualizações frequentes conduzam a uma posição mais elevada no ranking do Google. O nosso conselho é simples: devemos trabalhar com alguma regularidade no website.

Adicionar um artigo regularmente ao nosso website cumpre essa função, razão pela qual os blogs são úteis. Adicionar informação atual e funcional dá ao Google a ideia de que o nosso website está vivo. Se ele não estiver ativo, os crawlers do Google irão visitá-lo com menos regularidade e poderá tornar-se menos apelativo ao Google incluir a nossa página nos resultados de pesquisa. Além das questões abordadas, devemos sempre ter em mente que devemos manter o conteúdo mais importante do nosso negócio sempre atual.